Posts Tagged ‘fefe gurman’

Fefê Gurman | 18/06

junho 25, 2009

Sai de Belo Horizonte em um cartão postal

Carregando na mente viagem virtual

Pode ficar contente que vou até a lua

Vou mandar um presente que vai chegar na sua

A tanto tempo ausente trafego pelas ruas

De uma cidade quente e a vida continua

Se der um passo a frente pode virar parente

Fique a vontade a ver

O novo horizonte azul

Por detrás do monte ao sul

Que te ilumina

Fique a vontade a ver

O novo horizonte azul

Por detrás do monte ao sul

Que te ilumina

Um pão na chapa quente café com leite e broa

Comendo o que se sente a mente numa boa

Teu coração carente num avião revoa

Lembranças que se prendem balançam de gangorra

Tem estado diferente minera esta pessoa

De brilho aparente com os olhos de garoa

Carteiro apresente uma noticia boa

Mande a correspondência e a espera continua

Fique a vontade a ver

O novo horizonte azul

Por detrás do monte ao sul

Que te ilumina

Fique a vontade a ver

O novo horizonte azul

Por detrás do monte ao sul

Que te ilumina

CARTÃO POSTAL

Sai de Belo Horizonte em um cartão postal

Carregando na mente viagem virtual

Pode ficar contente que vou até a lua

Vou mandar um presente que vai chegar na sua

A tanto tempo ausente trafego pelas ruas

De uma cidade quente e a vida continua

Se der um passo a frente pode virar parente

Fique a vontade a ver

O novo horizonte azul

Por detrás do monte ao sul

Que te ilumina

Fique a vontade a ver

O novo horizonte azul

Por detrás do monte ao sul

Que te ilumina

Um pão na chapa quente café com leite e broa

Comendo o que se sente a mente numa boa

Teu coração carente num avião revoa

Lembranças que se prendem balançam de gangorra

Tem estado diferente minera esta pessoa

De brilho aparente com os olhos de garoa

Carteiro apresente uma noticia boa

Mande a correspondência e a espera continua

Fique a vontade a ver

O novo horizonte azul

Por detrás do monte ao sul

Que te ilumina

Fique a vontade a ver

O novo horizonte azul

Por detrás do monte ao sul

Que te ilumina

SUSPENSA NO AR

Mao Irmã da minha

Bote tuas linhas

Junto das minhas

Logo se forma um caminho

Quem vai decidir mudar o destino

Teus dedos apontam por rumos distintos

distantes da minha romaria

Se os astros não estão a favor

sem meu valor não volto atrás

Se você quer o meu amor

De braços abertos aqui estou

E cigana estou com estou certeza

Mas vejo a clareza neste teu olhar

Velas acessas as cartas na mesa

quem tira a sorte suspensa no ar

Suspensa no ar

Suspensa no ar

Bote tuas linhas

Junto das minhas

Logo se formam o caminho

Quem vai decidir mudar o destino

Teus dedos apontam por rumos distintos

distantes da minha romaria

Se os astros não estão a favor

sem meu valor não volto atrás

Se você quer o meu amor

De braços abertos aqui estou

Anúncios